Qual o melhor país? Trabalho Voluntário na África

. .
Esse é o primeiro post da série “Qual o melhor país para ser voluntário no exterior?” e abordará as nossas opções de trabalho voluntário na áfrica.

Ser voluntário no exterior gera bastante dúvidas. Muitos interessados nos perguntam qual é o melhor país para fazer trabalho voluntário no exterior e para responder essa pergunta, nossos consultores têm de entender melhor o perfil do voluntário. Isso engloba saber o que essa pessoa está procurando com essa experiência: choque, maior inserção cultural, bastante passeios turísticos, etc. Para ajudar nossos voluntários nessa difícil decisão, decidimos escrever três posts contando um pouco mais sobre cada país e o que vocês podem esperar em cada continente. Nesse post, vamos falar sobre trabalho voluntário na África.

Trabalho voluntário na África

1. África do Sul

Vamos começar com a queridinha dos nossos voluntários. O país, apesar de ter áreas de extrema pobreza, tem uma melhor infraestrutura comparado a outros destinos. Para quem não está tão acostumado a viajar, esse é o país recomendado para quem fazer trabalho voluntário na África, pois o choque cultural não será tão grande comparado a países como Gana e Quênia. Além disso, os voluntários serão hospedados em casas de voluntários, então estarão sempre acompanhados de outros voluntários brasileiros e de outros países do mundo também. Companhia para fazer turismo também não faltará!

Cidades

Aliás, cidades turísticas não faltam nesse belo país:Cape Town, Joanesburgo, Port Elizabeth, Durban, todas com suas belezas peculiares. Em Durban e Port Elizabeth, os projetos sociais são em áreas rurais, seja para ajudar crianças como o projeto com Skate em Durban, como os projetos com animais onde os voluntários devem chegar em Port Elizabeth para participar do Hands on Big 5 e Noah’s Ark.

A principal dúvida é entre Cape Town ou Joanesburgo. Para facilitar a comparação, vamos trazer essas duas cidades para o Brasil. Cape Town é muito parecido com o Rio de Janeiro com suas belas praias, montanhas, diversas atrações turísticas e um contraste social gigante. A movimentada Joanesburgo que abriga os principais bancos do país – sendo uma das cidades mais importantes para a crescente economia sul africana -,pode ser facilmente comparada à São Paulo.

Idioma

Outro motivo do país ser um dos prediletos é a possibilidade de aprimorar o inglês. A língua inglesa é uma das línguas mais faladas do país – no total, são 11 línguas oficiais. O governo e os meios de comunicação também usam o inglês e os voluntários não terão nenhum problema em se comunicar na rua em inglês também. Muitos voluntários aproveitam para fazer um curso de inglês antes de começar o trabalho voluntário ou para quem não tem muito tempo, é possível estudar inglês de manhã e fazer o trabalho voluntário à tarde, porém é necessário ter nível pré-intermediário para essa segunda opção. 

Para quem ainda não tem um bom conhecimento de inglês e não pretende fazer curso, a África do Sul também é uma opção. Há projetos que exigem apenas o nível básico do idioma. Se esse for o seu caso, recomendamos o Hope Journey, um hospital de recuperação de crianças localizado na Cidade do Cabo, o Noordhoek que fica dentro de uma township (comunidade sul africana) ou o Mandela’s Soweto Kids, uma das comunidades que mais brigaram contra o apartheid, regime de segregação racial que durou no país até 1994.

Independente do projeto escolhido, o país sempre será um excelente destino para realizar o seu trabalho voluntário na África. Para ter acesso a todos os projetos no país, basta clicar aqui.

2. Gana

Outro destino super procurado pelos nossos voluntários para ser voluntário na áfrica é Gana. Originado do Antigo Império de Gana, o nome tem um significado forte: guerreiro. Significado esse que representa também os milhões de escravos que saíram forçados do país com destino à América do Sul e Central. Até hoje é possível conhecer os locais onde eles ficavam alojados antes de serem levados para o novo continente.

Para os apaixonados por viagem que desejam ter uma imensa inserção cultural, Gana pode uma boa opção para ser voluntário no exterior. O País está na lista de 50 países com piores índices de desenvolvimento humano conforme relatório da ONU (UNDP,2015); contudo, a receptividade e tranquilidade do povo ganês servem como atrativos para os voluntários que buscam reverter essa situação.

Nossos projetos (educação, proteção à infância, saúde e proteção aos animais) são localizados na cidade de Kumasi, porém os voluntários devem chegar na capital Acra. Logo na chegada, encontrará um representante da Exchange do Bem para lhe recepcionar. A ida até Kumasi é feita de ônibus executivo. No entanto, não se preocupe, você contará com toda a ajuda dos nossos representantes para chegar no destino. Em Kumasi, haverá outro representante para lhe recepcionar na estação de ônibus também. Pode ficar tranquilo(a) que fazemos de tudo para garantir a sua segurança.

Leia também: É seguro fazer trabalho voluntário no exterior?

Você encontrará menos voluntários do que na África do Sul, porém frequentemente há outros voluntários. Alguns podem ser brasileiros da Exchange do Bem e outros europeus. Todos ficam hospedados na casa dos voluntários que fica no mesmo terreno da casa da família responsável por gerenciar a ONG que apoiamos. As instalações são ótimas e a família é super receptiva e acostumada a receber os voluntários. É a acomodação perfeita para quem quer ter privacidade, porém em contato com uma família local diariamente. 

Outro atrativo de Gana é o preço dos programas. Por US$540,00, você fica duas semanas com recepção no aeroporto, ônibus para o interior, acomodação durante o programa, alimentação 3x por dia, orientação, transfer e city tour. Se você acha que Gana é o destino perfeito para você fazer trabalho voluntário na África, clique aqui para conhecer os projetos.

3. Quênia

Para os viajantes experientes que estão em busca de um choque cultural grande, Quênia é o destino perfeito para fazer trabalho voluntário na África. O país, um dos mais pobres que trabalhamos, pode ser um pouco confuso para inexperientes; então não é o país ideal para ser voluntário no exterior para os viajantes de primeira viagem. É ideal para pessoas proativas e independentes; pois os projetos são mais desorganizados e as atividades variam de acordo com a proatividade do voluntário.

Cidades

Os projetos são focados em três áreas: educação, proteção à infância e saúde. Os projetos estão distribuídos em três cidades diferentes também. No país, trabalhamos com projetos em três cidades. Para os projetos em Nakuru, os voluntários devem chegar em Nairóbi onde serão levados de carro até Nakuru. A viagem dura em torno de 3h30min com trânsito normal. Os projetos em Nakuru são voltados para os cuidados de crianças ou bebês. A cidade fica no interior do país e tem belas montanhas e lagos para conhecer nas redondezas. 

Para os projetos em Mombasa e Diani, os voluntários são recepcionados no aeroporto de Mombasa. Se você gosta de praia, provavelmente esse é o melhor local para fazer seu trabalho voluntário na África. Nas cidades, temos projetos de educação e também dois hospitais: o Port Reitz e o Msambweni.

As condições do Quênia são básicas e você conviverá menos com outros voluntários, porém terá mais contato com os nativos. As acomodação são sempre em casas de família inspecionadas pela nossa equipe e acostumadas a receber nossos voluntários. É uma excelente oportunidade para conhecer mais a realidade desse país e sair da nossa zona de conforto. Aliás, sair da zona de conforto é fundamental para ser voluntário no exterior. Para conhecer nossos projetos no Quênia, clique aqui.

Se você ainda tem dúvidas sobre qual o país ideal para ser voluntário no exterior, entre em contato com nossos consultores ou conheça todos nossos projetos.

Você também pode baixar nosso guia de voluntariado no exterior com informações sobre todos nossos países clicando aqui.