Por que Nepal?

. .

Situado na encosta da Cordilheira do Himalaia, uma das paisagens naturais mais belas do mundo, o Nepal é um país pequeno e exótico. Com seus cumes nevados, seus iaques e seus mosteiros, o país é conhecido como a terra natal de Buda e também abrigo das montanhas mais altas do mundo.

O tamanho pequeno, no entanto, esconde uma cultura riquíssima e um belo patrimônio natural. Tão belo que o país todo é tombado como patrimônio da humanidade pela UNESCO. Afinal, é lá que está a montanha mais alta da Terra, o Monte Everest, com mais de 8.800 metros de altura.

Além das belezas naturais, o Nepal também é abrigo de diversas belezas culturais. Uma das mais curiosas delas é a região de Lumbini, apontada como o local em que Sidarta Gautama, o Buda, teria nascido. Hoje, o local é formado por sítios arqueológicos nos famosos Jardins de Lumbini, como ruínas de templos budistas que datam do século 3 a.C., fazendo da região um centro de peregrinação para praticantes do budismo.

Por falar em religião, o país também abriga uma grande e harmoniosa diversidade religiosa. Apesar de a maioria da população, cerca de 80%, praticar o hinduísmo, existe a presença de muitas crenças, entre elas o budismo, praticada por cerca de 9% da população. E o mais bacana é que as duas principais crenças convivem em harmonia, chegando até mesmo a compartilhar alguns dos templos e cultos.

A diversidade de etnias dentro do mesmo país e a hospitalidade dos locais encantam qualquer viajante. Aliás, a receptividade é um traço importante dos nepaleses, já que há muitos refugiados tibetanos vivendo no Nepal.

Conheça nossos projetos para o Nepal

A realidade no “país mais alto do mundo”, porém, não reflete as belezas que o país tem. Com cerca de 3,7 milhões de habitantes, Katmandu, a capital do país, ainda tenta superar os estragos causados por um terremoto que ocorreu em 2015 e representou perdas terríveis para o país.

O abalo sísmico foi considerado o pior na região em 80 anos, deixando nove mil mortos e mais de 21 mil feridos, com prejuízos avaliados em US$ 7 bilhões. O estrago foi tanto que, até o início de 2017, dois anos após o terremoto, menos de 5% das propriedades afetadas haviam sido reconstruídas.

Segundo dados da Autoridade Nacional de Reconstrução do Nepal (NRA), das 626.695 propriedades afetadas apenas 22.234 haviam sido reconstruídas até aquela data, enquanto 49.681 ainda estavam em obras. A previsão inicial da NRA era de que a reconstrução estivesse completa em 2020.

Em função disso, o Nepal tem dificuldades para voltar a crescer. Em 2017, o país esteve na lista de países menos desenvolvidos do mundo, de acordo com uma análise feita pela Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD).

Apesar de tudo, o Nepal, assim como sua população, é um país otimista. E é para manter esse otimismo que o Nepal precisa da ajuda de voluntários. O principal objetivo das ações no país é de fazer frente à situação de miséria que os nepaleses enfrentam, agravadas pelos desastres naturais.

Nossos projetos atuam em diferentes frentes, que envolvem desde atendimento à população carente em clínicas móveis e hospitais públicos, até o cuidado e atenção a crianças portadoras de necessidades especiais em abrigos. Também é possível trabalhar com agricultores locais, que representam em torno de 70% da população nepalesa, ou com empoderamento feminino.

Encontre seu destino

Um dos destinos mais incríveis do planeta, o Nepal promete oferecer uma experiência incrível para quem se aventurar pelo país. Que tal ser você o próximo a conhecer todas essas belezas e ainda ajudar a reconstruir um país que tanto precisa de ajuda? A Exchange do Bem é uma agência de intercâmbio social que conecta voluntários com diversos projetos ao redor do mundo. São mais de 50 opções na África, Ásia e América Latina para você realizar seu trabalho voluntário no exterior. Além disso, destina 10% do seu lucro para investimentos ligados à educação no Brasil.

Baixe o Guia do Voluntariado