Entregar, confiar, aceitar e agradecer. Uma grande lição de gratidão vivida no Nepal.

. .
Texto escrito por Renato Dias Matosinhos, nosso voluntário que esteve em janeiro de 2018 em Kathmandu no Nepal.

É muito engraçado tentar explicar o inexplicável, mas vou tentar falar um pouco da melhor experiência da minha vida!! Bom, através de uma amiga eu conheci a Exchange do Bem e imediatamente entrei em contato. Desde o primeiro momento eu sabia que estava nas mãos certas. Conversei com os meninos da agência e depois de um mês eu já estava tudo decidido, fiz o planejamento para viajar exatamente um ano depois (foram tempos de muita ansiedade). Não preciso falar que durante todo o tempo eu tive um suporte de excelência por eles, sempre com muita atenção e boa vontade. Até que chegou o tão sonhado dia, 12 de janeiro de 2018… Tive uma longa jornada até chegar no melhor lugar do MUNDO, Kathmandu – Nepal.

  • Chegando naquele lugar diferente tive muito medo, por que é um lugar 100% diferente de tudo que eu conhecia (até mesmo os carros rs) mas já nas primeiras horas no país me encantei pela cultura e queria desbravar aquilo tudo. Fiquei hospedado uma semana em um hotel próximo a Thamel onde eu me sentia bem a vontade. Não havia qualquer tipo de perigo… de verdade, os nepaleses são as melhores pessoas do mundo. Tive a oportunidade de visitar o único hospital que trata crianças com câncer do país e foi neste momento que eu senti o peso do trabalho voluntário (apesar deste não ser o projeto que eu havia escolhido). Voltei para casa e chorei até o outro dia, de fato é bem chocante…

    Leia também: Porque sua viagem pode ser inesquecível

    Enfim, uma semana se passou e então fui para a homestay e iniciei as atividades no projeto que eu havia escolhido (crianças com deficiência mental e/ou física). A família hoje em dia é minha família também. Pessoas que não tem como falar, a todo momento eles se preocupavam comigo e se eu estava bem. As crianças do projeto, confesso que após o primeiro dia eu não queria voltar mais. Achava que não estava preparado o suficiente para conviver com aquelas peças raras, foi bem difícil o retorno no dia seguinte mas comecei a fazer o que eles faziam: “entregar, confiar, aceitar e agradecer“. Pronto, eu entreguei meu coração a eles e recebi de volta 10 corações que só precisavam de serem acolhidos. Nos 30 dias em que estive no Nepal eu vivi em extremos… eu aprendi muito mais do que ensinei. Lá entendi o significado de gratidão. Lá eu consegui praticar o lema: “todo dia é um grande dia”. Desde que voltei, sinto saudade todos os dias de todos que conheci nessa aventura. Obrigado equipe Exchange do Bem por tornar meu sonho realidade! Foi inesquecível!

    Namaste 🙂

    Renato Dias Matosinhos

  •  

    Projeto: Disabled Children`s Home

    Período: Janeiro a fevereiro de 2018 (4 semanas)

    Para todos os projetos do Nepal, clique aqui.