O que é Impacto Ambiental?

. .

O que é Impacto Ambiental e como viajar prejudica o meio ambiente

Se você quer saber o que é impacto ambiental e como viajar prejudica o meio ambiente, você está no lugar certo. Muito se ouve sobre impacto ambiental, mas afinal, você sabe o que isso significa?

Resumindo, o impacto ambiental está relacionado a qualquer mudança no ambiente, independente da escala.

Você sabia que até mesmo as viagens que fazemos todos os anos têm um grande impacto prejudicial no meio ambiente? Se você quer saber tudo sobre essas questões, é só continuar lendo até o final do conteúdo que preparamos para você.

impacto ambiental

O que é impacto ambiental

O impacto ambiental nada mais é do que qualquer alteração feita pelo homem no meio ambiente. Qualquer mudança física, química ou biológica do meio ambiente causada por atividade humana pode ser classificada como um impacto ambiental.

Além disso, qualquer coisa que em decorrência dessas alterações possa afetar a saúde da população como um todo, também pode ser considerado impacto ambiental. As atividades sociais e econômicas também são consideradas nessa classificação.

Sendo assim, o impacto ambiental é muito mais abrangente do que se pode parecer de início. Segundo a Resolução 001/86 do CONAMA, o impacto ambiental pode ser definido como: “qualquer alteração das propriedades físicas, químicas e biológicas do meio ambiente, causada por qualquer forma de matéria ou energia resultante das atividades humanas que, direta ou indiretamente, afetam a saúde, a segurança e o bem-estar da população; as atividades sociais e econômicas; a biota, as condições estéticas e sanitárias do meio ambiente e a qualidade dos recursos ambientais.”

Tendo a resolução do CONAMA em mente, vale lembrar que nem sempre o impacto ambiental é negativo. Os tipos de impactos ambientais podem ser diferenciados como:

Impacto positivo: quando a qualidade de algum fator ambiental é melhorada, como por exemplo recuperar matas ciliares ou efetuar a limpeza dos rios;

Impacto negativo: qualquer ação que prejudique o meio ambiente entra nessa categoria, como desmatamento, extinção de espécies e poluição;

Impacto direto: quando o impacto ambiental é causada por uma simples relação de causa e efeito, como o desgaste dos recursos naturais;

Impacto indireto: quando o impacto é causado por uma ação secundária ou de uma rede de várias causas, como o replantio de árvores em locais desmatados;

Impacto local e regional: correspondem ao impacto em um único local onde se foi feita a interferência, e o segundo (em maior escala) corresponde ao impacto em uma região específica;

Impacto imediato: quando a interferência humana causa um impacto imediato para o meio ambiente, como as queimadas irregulares;

Impacto de médio e longo prazo: quando o impacto só pode ser notado algum tempo após a interferência no ambiente;

Impacto temporário: acontece quando o ambiente só se encontra modificado por um período de tempo;

Impacto permanente: quando os danos causados permanecem por longos períodos, sem possibilidades visíveis de regeneração.

Mesmo que nem todos os impactos ambientais sejam negativos, como replantar árvores em áreas desmatadas ou efetuar a limpeza de rios, é preciso estar atento. Independente das interferências, é preciso fazê-las com cautela, principalmente aquelas que podem produzir impactos negativos.

Telegram

Como viajar causa impacto ambiental

Viajar prejudica o meio ambiente. É uma afirmação um tanto quanto estranha, principalmente após ler sobre a definição e sobre os tipos de impactos ambientais, não é mesmo?

Acontece que, o problema de viajar está diretamente relacionado com a emissão de dióxido de carbono. Por exemplo, um voo de ida e volta de Nova York até Londres emite aproximadamente 985 quilos de dióxido de carbono. Segundo o jornal The Guardian, essa quantia exorbitante corresponde à emissão de um único passageiro do voo.

Mas isso quer dizer que ninguém vai poder viajar? Não exatamente. Há várias propostas interessantes que podem ser a salvação para viagens mais sustentáveis.

Algumas vezes o carro pode ser a melhor opção

Se você está pensando em pegar um voo de aproximadamente uma hora, é preferível que você pegue seu próprio carro para fazer sua viagem. Isso acontece porque o gasto de combustível na decolagem e no pouso do avião são exorbitantes, fazendo com que seja mais sustentável fazer a viagem de carro sozinho.

Faça voos diretos

Fazer voos diretos diminui a quantidade de decolagens e pousos, diminuindo consideravelmente o gasto de combustível e a emissão de dióxido de carbono. 

Caso não seja possível, escolher a rota que seja mais reta (você pode traçar linhas em um mapa para testar as opções) é uma das melhores escolhas. Ao escolher uma linha mais reta, com pousos na direção para onde você está indo, faz com que os gastos sejam relativamente menores.

Viaje de ônibus

Mesmo com o desenvolvimento da tecnologia, viajar de ônibus (principalmente se você estiver sozinho) é muito mais ecológico do que fazer o trajeto de carro. Como o país não conta com uma malha férrea para passageiros, a melhor opção para viajar de forma sustentável é fazer sua viagem de ônibus.

Peça carona

Pedir carona para quem está indo para o mesmo lugar que você pode ser uma boa ideia para diminuir as emissões de carbono (e os gastos da viagem). Se o carro estiver totalmente ocupado (com 4 pessoas) é melhor ainda.

Um carro cheio equivale a 75% menos emissão de carbono, isso considerando o mesmo trajeto feito por uma única pessoa em um carro.

Como a Exchange do Bem reduz o impacto ambiental

A Exchange do Bem é uma empresa social que tem como principal objetivo incentivar o voluntariado, ligando voluntários com projetos espalhados por todo o mundo.

Com 70 projetos em andamento na África, Ásia e América Latina, os intercambistas costumam fazer suas viagens de avião. E como a ideia da Exchange do Bem é de ajudar a preservar o meio ambiente, surgiu a ideia de plantar árvores para cada intercambista que fez sua viagem.

Dessa forma, se cada um contribuir um pouco, é possível fazer do mundo um lugar melhor para todos. 

Portanto, em parceria com a PlantVerd, uma startup que atua em todo o Brasil para fazer a recuperação de áreas degradadas, a Exchange do Bem criou uma floresta de 1000 metros quadrados no Parque Estadual do Aguapeí, no estado de São Paulo. O intuito é diminuir o impacto ambiental causado por suas viagens.

O projeto da Exchange do Bem em conjunto com a PlantVerd também tem como objetivo ajudar a preservar o ambiente natural de espécies. Entre essas espécies está o cervo-do-pantanal, animal ameaçado de extinção por causa do desmatamento de seu habitat natural.

São mais de 80 espécies de árvores sendo plantadas no parque, como forma de contribuir para a preservação do meio ambiente. Além disso, cada um dos intercambistas que passou pela Exchange do Bem pode ver sua viagem materializada em uma árvore.

Com uma proposta incrível de conectar voluntários aos projetos certos e ainda fazer isso de forma sustentável, é algo que você com toda certeza precisa conferir.

Você pode conferir todos os projetos e ficar por dentro de tudo que a Exchange do Bem tem a oferecer para o mundo.

dúvidas sobre intercâmbio